O crime foi confessado pelo pescador Amarildo da Costa Pereira, conhecido como “Pelado”, e indicou a localização dos restos mortais dos dois homens que estavam desaparecidos desde o dia 5 de junho.

Edinazio Silva publicou uma nota em que lamenta a morte do indigenista Bruno Pereira e do jornalista inglês Dom Philips no Amazonas. O crime foi confessado pelo pescador Amarildo da Costa Pereira, conhecido como “Pelado”, e indicou a localização dos restos mortais dos dois homens que estavam desaparecidos desde o dia 5 de junho.

Confira a nota:

Edinazio Silva, brasileiro, teólogo e professor vem a público se manifestar contra as mortes do indigenista Bruno Pereira e do jornalista inglês Dom Philips, é uma vergonha para o Brasil. Estamos no século XXI e nos comportamos como animais irracionais, o lucro e a ganância permeiam na cabeça de muitos.

A política extremista da direita e da esquerda fabrica a miséria e um povo escravizado pelas ideias de classes dominantes que se revezam no poder travestidos de salvadores da pátria.

Há dezenas de anos vivemos numa nação maquiada, e na ilusão da disputa esquerda/direita, nunca vi a elite sofrer quando o suposto comunismo ou o falso conservadorismo chega ao poder, mas o povo continua na miséria sem acesso as coisas básicas como água potável, saneamento básico, moradia e alimentação, enquanto uma elite desfila nos planos altos e nos palácios, pois no Brasil, tem palácio pra tudo.

Lamento essas mortes, aqui não temos segurança para nada, falta agora os comunistas que desfilam com seus carros importados me criticarem, ou os extremistas da direita afirmar que defendo comunistas, defendo a vida, não ideologia.