De acordo com William Brigido, o Estatuto da Criança e Adolescente, Lei nº 8.069, de 13 de julho de 1990, estabelece, nos artigos. 15 e 17, que a criança e o adolescente têm direito à liberdade, ao respeito e à dignidade como pessoas humanas em processo de desenvolvimento e a sexualidade faz parte do desenvolvimento.

“A minha grande preocupação, como deputado que defende os valores cristãos e a família está na erotização precoce. Através do processo de replicação, que cada criança passa, são inseridos gestos em suas brincadeiras, no cotidiano, fazendo com que se abra margem para que a criança fique desprotegida quando surgem pessoas mal intencionadas em relação a ela. Por isso, acredito que esse projeto será aprovado em plenário por unanimidade”, disse o deputado William Brigido.